Entrevista com Bob Kurik, parceiro do SDD, Charles University, Praga

Entrevista do SDD com Bob Kurik

Por Willeke van Staalduinen, AFEdemy, Academy on Age-Friendly Environments in Europe B. V.

Enfrentar diariamente o racismo ou o discurso de ódio é um acontecimento único que leva a mil agulhas que ferem os cidadãos europeus todos os dias. Isto está a afetar a vida de muitos cidadãos europeus que parecem ou são diferentes do mainstream. A tragédia da não intervenção é outro ponto de aprendizagem marcante dos especialistas que estão envolvidos no projeto Smart for Democracy and Diversity. Bob Kurik, antropólogo da Charles University de Praga (CZ) promete uma cultura de coragem cívica.

Toda a sua vida, Bob está interessado em envolvimento cívico e ativismo. O antirracismo é um dos seus principais objetivos a lutar. Isto deve-se principalmente ao facto de alguns dos seus amigos, com raízes étnicas ciganas, serem confrontados diariamente com o racismo e o discurso de ódio.

O seu desejo de combater o racismo é também uma das razões pelas quais se juntou ao projeto Smart for Democracy and Diversity. Deu-lhe também a oportunidade de trabalhar com o coordenador do projeto, Jesper Schulze, que conhece desde o tempo em que viveu na Alemanha. A abordagem pragmática também atraiu Bob para intervir, e a oportunidade de aprender mais sobre jogos online. O crescimento do racismo durante a última década é outra razão para participar. Bob nota que as pessoas que são afetadas pelo racismo têm de lidar com isso quase todos os dias.

No projeto SDD, Bob gosta particularmente da disponibilidade das pessoas para participar no projeto. Não apenas como entrevistados, mas também para atuar como especialistas em workshops para fornecer feedback sobre as cenas criadas e a estrutura do jogo. Ele mostra-se satisfeito por ver que tantas pessoas estão envolvidas e aprende muito com elas. Em segundo lugar, gosta de cultivar a perspetiva europeia sobre a discriminação e o racismo. Elogiando a existência de diferenças locais, mas há muitos motivos europeus comuns para se encontrar sobre o tema.

O Bob aprendeu no projeto SDD que muitos entrevistados são confrontados com o racismo no dia-a-dia. Isto está a afetar as suas vidas de muitas maneiras. Um evento pode levar a 1000 agulhas que doem todos os dias. Como segundo tema importante, o Bob aprendeu sobre a tragédia da não intervenção: os espectadores permanecem em silêncio, ignoram o racismo ou pensam que não é da sua conta. Precisamos de desenvolver uma cultura de coragem cívica.

Os próximos passos de Bob no projeto são na colaboração com o desenvolvimento do jogo e incluir os feedbacks dos workshops. O Bob e os seus colegas estão a promover o compêndio do SDD num podcast na República Checa. Além disso, o Bob está a preparar a reunião dos parceiros do projeto em Praga no final de maio e espera mostrar-lhes um monte de coisas boas de Praga.